Filme Português Antigo Reescreveu a História do Surf

A história do “surf”, em Portugal e na Europa, foi reescrita através de uma surpreendente descoberta histórica – poderia quase dizer-se “arqueológica”, dado tratar-se de um artefacto material do passado, do qual não havia conhecimento no presente. Em 2012, foi notícia a descoberta de um trecho de filme, de cerca de 30 segundos, que mostra um grupo de desportistas a praticar “bodyboard” – ou antes “bellyboard” – na praia de Leça da Palmeira, no Porto. As cenas datam de 1927, o que faz deste trecho o mais antigo registo cinematográfico de “surf” captado na Europa, suplantando imagens registadas em Inglaterra por volta de 1929.

O que aconteceu a estes surfistas?photo-camera-219958_960_720

São muito escassos os indícios da prática de “surf” em Portugal antes da II Guerra Mundial. Uma vez que o Porto, durante séculos e ainda hoje, foi ponto de paragem de uma significativa comunidade inglesa, por via do negócio dos vinhos, é provável que o grupo de desportistas em questão fosse constituído por ingleses e que não tenham conseguido criar uma dinâmica relevante em torno desta prática nos anos seguintes.

Algo de semelhante aconteceu com o futebol, que, sendo uma invenção inglesa, foi introduzido pela primeira vez em Portugal precisamente através dos ingleses do Porto, embora nesse caso o desporto não tenha tardado a criar raízes em Portugal.

“Aspectos de Leça da Palmeira, Matosinhos e Leixões”

O “clip” integra uma sequência de vídeo maior, com uma duração de cerca de 32 minutos, produzida pelos “Serviços Cinematográficos do Exército Português”, um serviço que estivera já responsável por captar em vídeo a participação portuguesa na I Guerra Mundial.

Arquivo Nacional de Imagens em Movimento (ANIM)

O ANIM é o arquivo da Cinemateca, possuindo cerca de 50.000 registos de filme, em grande parte constituídos por bobines antigas. Este espólio é conservado em instalações situadas em Bucelas (Loures), sendo o material mantido a temperatura estável, para ajudar à sua preservação. Como em todos os grandes arquivos, grande parte deste material tem dados desconhecidos; por outro lado, nem sempre há recursos financeiros para efetuar cópias, o que pode colocar em risco a sua preservação a longo prazo.

Leave a Reply