Candidatos Portugueses ao Óscar de Melhor Filme Estrangeiro

O Óscar para Melhor Filme Estrangeiro (ou Melhor Filme em Língua não Inglesa) é um dos prémios internacionais mais almejados por realizadores de todo o mundo, e os realizadores portugueses não são exceção. Mesmo nunca tendo conseguido uma nomeação formal para estes galardões, todos os anos é submetida a apreciação uma película portuguesa. O organismo português que gere o processo de submissão da candidatura ao prémio máximo de um filme estrangeiro é a Academia Portuguesa de Cinema, que veio substituir o Instituto do Cinema e do Audiovisual (ICA). Este organismo, cujo presidente é Paulo Trancoso, tornou-se o responsável máximo pelo processo em 2012. E desde aí já elegeu os seguintes filmes:

* “Sangue do Meu Sangue”: este filme foi o candidato de 2013, tendo sido realizado por João Canijo. Foi a película mais vista nos cinemas portugueses, em 2011, e foi multipremiado nacional e internacionalmente. É um filme “cru”, contando com uma interpretação brilhante da atriz Rita Blanco.

* “Linhas de Wellington”: o candidato português ao Óscar de 2014 foi realizado por Valéria SarmiWellington Linesento. Este filme possui um elenco de luxo, em que se destacam John Malkovich e Catherine Deneuve. Foi o quarto filme português mais visto em 2012, retratando a última invasão francesa.

* “E Agora? Lembra-me”: este documentário autobiográfico foi o filme escolhido para representar Portugal em 2015. É da autoria de Joaquim Pinto e acompanha a vida de um doente com VIH e VHC durante um ano de ensaios clínicos para tratar a doença. É também um tributo do autor aos amigos que partiram e permaneceram consigo em memória.

* “Cartas da Guerra”: este foi o filme selecionado para os Óscares de 2016. A película de Ivo M. Ferreira é baseada nas cartas do escritor António Lobo Antunes. Estas foram escritas para a esposa do autor, entre 1971 e 1973, em plena Guerra Colonial.