10 Sites para Realizadores de Cinema Independente

Os realizadores de cinema independente sabem melhor do que ninguém como é trabalhar sem acesso a grandes recursos. Porém, sabem também que o mais importante é o trabalho, ter boas ideias, saber aplicá-las e ter uma imensa paixão por filmar, por captar um novo “shot” e pela representação.

Com o advento da internet, deixaram de existir círculos restritos em torno do cinema, geograficamente localizados, para passarem a existir grandes comunidades online, onde a troca de experiências é mais fácil e mais rápida. A web permite que cada um seja produtor de conteúdo, facilitando a divulgação de ideias através das redes sociais, como o Facebook ou o Twitter, e até de clips de vídeo ou filmes completos, no YouTube ou no Vimeo. Argumentistas, produtores, atores e outros interessados na realização de cinema alternativo ou independente congregam-se, agora, online.

Veja aqui uma lista de 10 sites cheios de recursos para cineastas independentes. É preciso ter em atenção que aquilo que dificilmente se obterá a partir destes sites será dinheiro para realizar filmes; aqui trata-se, acima de tudo, de partilhar ideias, trocar recursos ou “know-how”, fazer um pouco de “networking” e, eventualmente, conseguir divulgação para trabalhos já realizados. E daí, quem sabe se não aparecerá um mecenas interessado?

  • NoFilmSchoolhqdefault
  • Shooting People
  • Raindance
  • Hope For Film
  • Go Into The Story
  • Indiewire
  • FilmMakerIQ
  • Twitch Film
  • John August
  • IndieTalk

No caso específico de Portugal, pode ser útil acompanhar as principais iniciativas em torno do cinema independente, como o IndieLisboa, tendo sempre em atenção a máxima de que os recursos financeiros são extraordinariamente escassos. Mas é preciso não esquecer que as boas ideias conseguem sobressair, mesmo quando não há dinheiro – ou até, por vezes, pelo facto de não haver dinheiro. Na história recente, a premiada película de docuficção “Aquele Querido Mês de Agosto”, o surreal e subterrâneo “Balas e Bolinhos” e a primeira série do Gato Fedorento, a série “Fonseca” (aqui já fora do âmbito do cinema) são exemplos de ideias que vingaram sem grandes orçamentos iniciais.

Leave a Reply